Compartilhar

FecoAgro/RS orienta sobre comercialização da soja

O presidente da Cotrisel, José Paulo Salerno, participou, na última quarta-feira (30), da reunião realizada pela Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS) em Cruz Alta, na sede da CCGL, que discutiu o impacto sobre a dinâmica de mercado e liquidez para a soja.

A Cotrisel concorda com a decisão tomada na citada reunião e, sendo assim, reitera a nota publicada no dia 30/05 pela FecoAgro/RS em seu site, compartilhando suas orientações sobre a comercialização da soja:

"A Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS), diante a situação gerada pelo movimento paredista dos caminhoneiros, e que originou repercussões imensuráveis para as cadeias de valor na produção agropecuária, as quais são de conhecimento público neste momento, realizou nesta manhã, reunião com 24 cooperativas agropecuárias, suas afiliadas, para discutir o impacto sobre a dinâmica de mercado e liquidez para a soja, que igualmente a outros setores, que sofre com os ajustes motivados pelas incertezas e desdobramentos geradas pela paralisação.

As repercussões ainda persistem na dinâmica comercial do mercado de soja, que diante a retração de liquidez da oleaginosa, impõe ao setor procedimentos e comportamento de comercialização diferenciados, ao menos momentaneamente, até reassumir a normalidade verificada ao longo dos últimos anos. Assim, decidiram as cooperativas, reunidas em Cruz Alta, na sede da CCGL pelos seguintes procedimentos comerciais, ajustando-se assim ao ambiente de negócio apresentado, por ora, pelos principais compradores:

- Por unanimidade irão persistir na garantia de liquidez do produto;
- Ficou acertada a padronização do prazo de pagamento para sete dias para novas aquisições;
- Praticar modalidade de faturamento a prazo, a nível de produtor ajustando-se aos contratos de vendas.

A FecoAgro/RS e suas afiliadas ao promover essa decisão, num momento em que os cooperados demandam liquidez, principalmente por ter neste período do ano uma grande concentração de compromissos contraídos na produção da última safra, se posicionam solidariamente e entendem que estas medidas, assumidas de forma coletiva, poderão orientar o comportamento dos seus cooperados com um procedimento comercial transitório, como resposta ao que o mercado do produto soja condiciona neste momento.

Cooperativamente,

Paulo Pires
Presidente da FecoAgro/RS"