Compartilhar

[DETEC INFORMA] Intervalo de segurança na aplicação de defensivos agrícolas

O uso de defensivos agrícolas, os chamados agrotóxicos, junto com outras tecnologias e práticas de manejo, proporcionou um grande aumento na produção de produtos agrícolas nos últimos anos. O Brasil, segundo um estudo da Universidade Estadual Paulista (Unesp), está atrás da Coreia do Sul, Japão, Alemanha, França, Itália e Reino Unido no uso de defensivos por  hectare. No Japão, por exemplo, campeão em longevidade, o uso por hectare na produção de alimentos é oito vezes maior do que no nosso país.

Mesmo sabendo que não somos os campeões em uso por unidade de área e que o Brasil é um dos países mais rigorosos para liberação de registro, não podemos desprezar os riscos que esses produtos oferecem.

Os riscos de manuseio e aplicação, por serem mais perceptíveis, são mais fáceis de serem evitados. Porém, um risco que pode passar despercebido pelos agricultores é o risco de resíduo nos alimentos. Para evitarmos esse risco, devemos seguir as recomendações constantes na bula dos produtos, obedecendo rigorosamente o Intervalo de Segurança, que é o número de dias que deve ser respeitado entre a aplicação e a colheita.

Se o Intervalo de Segurança não for observado, pode resultar em resíduo acima do limite máximo permitido por organismos reguladores nacionais ou internacionais, tornando ilegal a comercialização desse alimento. Um exemplo recente desse problema se deu em outubro de 2018 quando uma exportação de arroz foi impedida de desembarcar nos EUA por conter resíduos do fungicida tebuconazol. O prejuízo decorrente desse embargo certamente não se restringe à empresa exportadora, pelo contrário, se estende por toda a cadeia produtiva e se faz sentir com mais força no produtor rural, pela consequente redução no preço do produto. Fato semelhante aconteceu no triste episódio da “soja vermelha”, rejeitada pela China em maio de 2004, em função de resíduo de tratamento de sementes, ocasião em que a soja anoiteceu valendo R$ 49,50 e amanheceu no dia seguinte por R$ 35,00/sc.

Exemplos de Intervalos de Segurança:

Produtos usados em arroz

Categoria

Princípio Ativo

Intervalo de Segurança (em dias)

Fungicida

Azoxistrobina + Difeconazol

45

Fungicida

Tebuconazol

35

Fungicida

Triciclazol

30

Inseticida

Acetamiprido + Bifentrin

30

Inseticida

Clorantraniliprole

15

 

Produtos usados em soja

Categoria

Princípio Ativo

Intervalo de Segurança (em dias)

Fungicida

Azoxistrobina + Benzovindiflupir

21

Fungicida

Mancozebe

30

Fungicida

Picoxistrobina + Ciproconazole

30

Inseticida

Imidacloprido + Bifentrin

21

Inseticida

Metomil

14

 

A observância do Intervalo de Segurança é fundamental para obtermos alimentos seguros. Para isso, o controle de insetos, plantas invasoras e doenças deve obedecer um planejamento estratégico, evitando aplicações muito próximas da colheita. Agindo assim estaremos preservando nossa saúde (física e financeira).

 

Em caso de dúvidas, consulte um técnico da Cotrisel da sua cidade.

 

Engenheiro Agrônomo Marco Antônio Saldanha Silveira

DETEC – São Sepé/RS