Compartilhar

[DETEC INFORMA] Uso de Adjuvantes

Os adjuvantes são substâncias adicionadas a calda para aumentar à eficiência do produto ou modificar determinadas propriedades da solução, visando facilitar a aplicação ou minimizar possíveis problemas.

Eles se apresentam em dois grandes grupos: os modificadores e os aditivos. Os modificadores das propriedades de superfície dos líquidos (surfactantes, espalhantes, umectantes, detergente e outros). Enquanto que os aditivos (óleo mineral e vegetal, sulfato de amônio, ureia e outros) atuam diretamente na absorção devido sua ação direta sobre a cutícula, aumentando a absorção dos produtos.

Os surfactantes são substâncias que afetam as superfícies dos líquidos, proporcionando um ajustamento mais íntimo de suas substâncias. A maioria dos surfactantes possuem outras características como umectantes, espalhantes e aderentes.

Podem ser iônicos ou não iônicos. Os não iônicos não possuem carga elétrica e não se ionizam na água, estes são os mais usados pois não reagem com as moléculas dos herbicidas. Já os iônicos são aqueles que se dissociam na água em cátions e ânions. Os aditivos aumentam a absorção dos herbicidas.

Os principais aditivos são os óleos minerais e vegetais que atuam dissolvendo as gorduras presentes na cutícula e membranas celulares, eliminando as barreiras presentes nas células das folhas que diminuem a absorção dos herbicidas. São muito usados no Brasil, devido abundância da oleaginosa, o óleo vegetal de soja (Exemplo: Aureo, Rumba, etc). Os óleos quando adicionados a calda aumentam a absorção dos herbicidas reduzem a deriva, retardam a evaporação da gota, atuam como espalhante e adesivo.

Os surfactantes podem afetar a eficiência dos herbicidas da seguinte forma:

- Geram um aumento da penetração, pois ao aumentar a área de contato com a folha, gera um maior espalhamento;

- Com o aumento da penetração, há o aumento da área de contato com a folha, resultando a diminuição de partículas de ar entre as gotículas aspergidas e a superfície da folha;

- Aumentam a retenção da aspersão onde as superfícies vegetais sejam de pronta molhabilidade;

- Aumentam a retenção da aspersão em locais chaves favoráveis à penetração ou subsequente danos às plantas alvo.

Como exemplo citamos o herbicida a base de Paraquat, o produto possui ação localizada na folhagem (onde a aplicação conseguir aspergir), ou seja, baixa translocação dentro da planta. Para este herbicida ser eficiente é necessária uma boa cobertura das plantas alvo do controle, que só e atingida com o uso de um adjuvante com propriedades espalhantes (resultado = melhor cobertura do alvo). Os espalhantes diminuem a tensão superficial das gotículas reduzindo o ângulo de contato desta com a superfície da folha.

Umectantes são substâncias que retardam a evaporação da água, fazendo com que a gota permaneça mais tempo na superfície tratada, aumentando a absorção do produto aplicado. O uso destes molhantes são fundamentais em dias de temperatura elevada e baixa umidade do ar. O secamento rápido da gota dificulta ou impede sua absorção pela planta alvo.

Aderentes são substâncias que aumentam a aderência dos líquidos ou sólidos à cera e a cutina da superfície dos órgãos das plantas. O aumento da aderência, faz com que diminua o escorrimento superficial e faz também com que as gotas permaneçam mais tempo na superfície de contato das folhas, diminuindo a possibilidade de serem lavadas facilmente pela água da chuva e aumentando a absorção.

Emulsificantes são substâncias com atividades sobre a superfície dos líquidos, promovendo a suspensão de um líquido em outro com maior facilidade. Estes emulsificantes normalmente são também espalhantes, adesivos e umectantes.

Dispersantes são importantes pois evitam a aglomeração das partículas através da redução das forças de coesão entre as mesmas. Temos como exemplo, os pós-molháveis exigem essa caraterísticas.

Detergentes são substâncias com a capacidade de remover sujeira, como a poeira, da superfície da folha, aumentando o contato da gota com a superfície do alvo.

Por fim, muitas espécies de plantas daninhas, no uso de inseticidas e de fungicidas, os adjuvantes corretos apresentam um ganho importante em eficiência. Por exemplo, no controle de ácaros em soja, é recomendado que o usuário faça uma pré-mistura antecipada (mínimo 12 horas) do acariciada com o óleo mineral ou vegetal a ser utilizado. Essa técnica resulta em ganhos de eficiência.

Em muitos casos o uso de adjuvantes corretos e com indicação do fabricante, podem aumentar em mais de 50% da eficiência de um produto. Dessa forma, possíveis ganhos com o uso dos adjuvantes mais adequados devem ser sempre considerados. A Fundação MS, anualmente, divulga resultados relacionados aos adjuvantes x fungicida, sendo de conhecimento público. Nossos técnicos estão habilitados a prestar as melhores informações ao nosso associado.

A Cotrisel possui um portfólio significativo de adjuvantes para serem aplicados na agricultura. Além dos adjuvantes também temos produtos para limpeza de tanques, produtos antiespumantes, produtos para reduzir o pH da calda e produtos para redução da deriva, muito importante nos dias atuais.

É preciso mais do que nunca, um pulverizador muito bem regulado, em ótimas condições de uso, com bicos de pulverização adequados ao tipo de produto que deseja aplicar, manter o cuidado com a deriva, estar atento as condições climáticas adversas, possuir treinamento e fazer uso dos Equipamentos de Proteção Individual adequados (EPi’s). Ao manusear produto químico é necessário cumprir as medidas de proteção e segurança adequadas.

Em caso de dúvidas, consulte um Engenheiro Agrônomo ou Técnico da Cotrisel em sua cidade.

 

Fonte: Engenheiro Agrônomo Marcelo Tomazi

DETEC – Restinga Sêca/RS